Sobre o curso

O NOVO CÓDIGO DA PROGRAMAÇÃO NEUROLINGUÍSTICA – NEW CODE NLP

O Novo Código da PNL foi desenvolvido por John Grinder e Judith De Lozier (e mais tarde também por Carmen Bostik St Clair) com o principal objetivo de atualizar o Código Clássico da PNL, trazendo para a PNL processos e contextos poderosos, indutores de mudança em múltiplos níveis

Um dos principais motivos que esteve na base do seu desenvolvimento foi o facto de Grinder ter constatado (quando regressou ao mundo da PNL após alguns tempos afastado), a falta de congruência dos supostos “profissionais” que operavam nesta área, os quais eram exímios a provocar mudanças positivas nos seus clientes mas falhavam rotundamente quando se tratava de aportar transformações às suas próprias vidas.

Por este motivo, alguns dos aspetos mais relevantes do New Code NLP estão relacionados com calibração e congruência. Quando o coach calibra o cliente durante uma intervenção de New Code NLP, utilizando por exemplo como técnica de calibração o micro muscle mirroring, acede exatamente ao mesmo estado que quer gerar no cliente – um estado que John Grinder designa de ALTA PERFORMANCE ou KNOW NOTHING STATE – um estado de conhecimento nulo, em que coach e cliente entram em modo inconsciente – o modo que Grinder considera ser o mais inteligente e eficiente do nosso sistema para tomar decisões e que é central em todo o trabalho de New Code.

AS PRINCIPAIS DIFERENÇAS ENTRE O CÓDIGO CLÁSSICO E O NEW CODE NLP

1. Estado ao invés de Comportamento

O New Code NLP trabalha estado emocional, encarando-o como uma ESCOLHA e não como uma consequência. Neste aspeto, afasta-se, significativamente do código clássico (tal como desenvolvido originalmente por Bandler e Grinder) onde se trabalha predominantemente comportamento.

Deste modo, regista-se, nas abordagens de New Code, um certo desinteresse no que respeita à compreensão consciente do conteúdo das mudanças que estejam a ser feitas, tanto da parte do cliente como da parte do agente de mudança, o que resulta em não se querer investigar sobre o conteúdo. Nas sessões de Novo Código, o cliente não necessita de partilhar os conteúdos ou contextos em que está a trabalhar.

2. O inconsciente está explicitamente envolvido em todos os passos críticos da mudança

Enquanto noutras abordagens podemos utilizar um conjunto diversificado de metodologias, numa abordagem de Novo Código é o inconsciente que está constantemente ativo durante toda a intervenção.

No New Code NLP acedemos, constantemente, ao inconsciente e atribuímos-lhe, explicitamente, a responsabilidade pela escolha dos elementos críticos para a mudança tais como o estado desejado, os recursos ou os novos comportamentos. Em suma, o inconsciente é responsável pela tomada de todas as decisões adequadas aos processos de mudança.

No Código Clássico é o cliente que, conscientemente, escolhe os recursos que deseja trazer às situações onde deseja mudança. No Novo Código são criados contextos onde processos inconscientes são utilizados para gerar essa mudança. A utilização de sinais involuntários é um dos inúmeros processos do Novo Código, a qual permite ao cliente estabelecer comunicação com a sua mente inconsciente.

As experiências mais recentes neste domínio relatadas por John Grinder apontam para a ideia de que, quando organizados adequadamente, os processos inconscientes produzem mudanças longas, profundas e ecológicas que, inclusivamente, tendem a alastrar-se a outros contextos para além daqueles em que o cliente está especificamente a trabalhar.

3. É introduzido o frame da intenção

Assume-se em PNL que todo o comportamento é eficiente (o erro não existe – só existe feedback) e que há sempre uma intenção positiva por detrás de cada comportamento.

No New Code NLP a manipulação ocorre ao nível do estado e da intenção, e não ao nível do comportamento. Garante-se que se mantém sempre satisfeita a intenção positiva apesar do comportamento e do estado se irem alterar pois é o inconsciente que escolhe o estado a que quer aceder. Há, pois, constrangimentos específicos colocados na seleção dos novos comportamentos,  mais concretamente, os novos comportamentos devem satisfazer as intenções positivas originais dos comportamentos a serem mudados;

4. Simplicidade e Autonomia

Numa intervenção de New Code NLP dotamos as pessoas de instrumentos que lhes permitem ser autónomas na escolha dos seus estados. Tudo no Novo Código da PNL está relacionado com o ampliar escolhas, com a possibilidade de aceder a escolhas sobre todos e quaisquer contextos da sua vida, com enorme simplicidade.

5. Ludicidade

O New Code NLP é  exímio a alterar o estado emocional da pessoa e uma das estratégias fundamentais para o conseguir passa pelo desenvolvimento de atividades lúdicas ou jogos que levam a que seja ativado no jogador, de uma forma natural, um estado de elevada performance, livre de conteúdo.

Os jogos de New Code apresentam um conjunto de características únicas como o processamento paralelo e a ativação de ambos os hemisférios que, quando presentes em simultâneo num jogo, conduzem a estados diversificadíssimos de elevada performance que podem ser generalizados a contextos onde esses estados sejam desejáveis.